terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Lixo extraordinário na Ilha

Depois de bastante tempo sem postar nada devido a problemas técnicos estou de volta.

E retomo o blog com um assunto que está em todo os meios de comunicação, em todas as rodas de conversas entre amigos.  Não falo do Big Brother e sim de um assunto sério como a produção de lixo nas cidades.Ponto que vem sendo mais discutido depois do lançamento  do documentário “Lixo extraordinário” de Lucy Walker, Karen Harley e João Jardim, sobre o trabalho do artista plástico Vik Muniz com os catadores do lixão de Jardim Gramacho (RJ) que foi indicado para o Oscar 2011 na categoria documentário.
A produção de lixo nas cidades é uma preocupação de todos, e sem saber o que fazer com seu lixo, como reutilizá-lo passamos pelo ponto da reciclagem onde temos uma gama de finalidade para o nosso lixo podendo assim tira-lo das ruas que além de deixar uma imagem de cidade imunda e porca entopem esgotos causando alagamentos com as chuvas que caem sobre as cidades, fato que podemos encontrar em praticamente todas as cidades e facilmente na nossa grande Ilha.
Um exemplo bem prático de como utilizar o nosso lixo eu encontrei em uma visita no município de São José de Ribamar no Pau deitado sem trocadilho como mostra a foto com baixa resolução pois foi tirada a noite do meu celular.

Garrafas plásticas



Várias garrafas de refrigerantes que chamamos de garrafas pet, amontoadas não ao acaso mais para um fim, utilizandas na montagem de canteiros para a plantação de legumes e verduras por exemplo!








Podemos ver que a inteligência de “pessoas comuns” são usadas e aplicadas no uso do lixo, porém empresas de limpeza pública não possui essa inteligência toda. Andando pelas grandes vias de São Luis é fácil achar nos canteiros e calçadas vários sacos plásticos da empresa de limpeza pública, ótimo está limpando a cidade e realizando sua parte no contrato, só que o fato são os vários sacos plásticos semi-vazios aos montes um exagero de sacos. Sacos esses que derivam do petróleo, substância não renovável, feita de uma resina chamada polietileno de baixa densidade (PEBD) e sua degradação no ambiente pode levar séculos. Os primeiros plásticos produzidos existem até hoje. No mundo são distribuídas entre 500 bilhões e 1 trilhão de sacolas plásticas por ano. No Brasil, o número gira em torno de 12 bilhões anuais. Cada brasileiro consome cerca de 66 sacolas plásticas por mês.





Alguém me explica pra que tanto saco? Não sei ao certo o por que desses sacos assim com pouco lixo, fui informado por fonte não oficial que seria um contrato com a empresa que fabrica os sacos, sendo comercializado mais sacos do que é realmente necessário. Uma teoria que explicaria muito bem esse gasto excessivo de sacos plásticos por conta da empresa de limpeza! Não tendo as respostas ainda, aguardo por alguma resposta e pelo principal o uso consciente do plástico!
Peço a você que use o plástico de forma educada, substitua por sacolas de pano e papel, vamos tornar nosso planeta mais limpo pelo menos por 400 anos, e se souber o motivo dos sacos excessivos pela empresa de limpeza agradeceria respondendo no Twitter ou nos comentários!
Até breve.


1 Segundo para a fabricação
20 Minutos de uso
400 anos de decomposição até abandonar a natureza

5 comentários:

  1. Muito bom cara!!! conscientização já!

    ResponderExcluir
  2. Muito legal, já add o link de vocês ao nosso blog. Valeu

    ResponderExcluir
  3. Bacana o post siow bem legal mesmo...

    ResponderExcluir
  4. Também me pergunto a mesma coisa quanto a enorme quantidade de sacos plásticos semi cheios nos meios fios das avenidas...

    ResponderExcluir
  5. Que bom saber que ainda temos alguém que vê a importância desse tema. Parabéns, Gustavo.

    ResponderExcluir